quinta-feira, 16 de novembro de 2017

FIJ divulga campanha 2017 contra impunidade de crimes contra jornalistas

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) lançou a campanha 2017 contra a impunidade dos crimes contra jornalistas. A iniciativa, que é desenvolvida todos os anos pela FIJ, este ano teve início no dia 2 de novembro, que é o Dia Internacional para acabar com a impunidade dos crimes contra jornalistas das Nações Unidas.

A campanha, que segue até 23 de novembro (o 8º aniversário do massacre de Maguindanao nas Filipinas, que reivindicou a vida de 32 jornalistas), busca fortalecer o marco jurídico internacional, assim como os mecanismos nacionais de proteção para garantir maior segurança para os trabalhadores da mídia. Este ano, a campanha se concentra em sete países: México, Paquistão, Afeganistão, Iraque, Iêmen, Somália e Ucrânia.

domingo, 12 de novembro de 2017

"Ideologia de gênero" não existe

Estamos passando por um momento de guerrilha informacional. Fake News (um termo que precisou ser criado para categorizar as notícias falsas criadas de propósito. Nem todas com interesse diretamente político eleitoreiro, mas dificilmente por engano) são criadas todos os dias para alimentar uma estratégia de ódio que visa, nada mais, que as eleições de 2018.

O fato é que esse grupo criou a denúncia que uma "ideologia de gênero" estaria sendo inserida secretamente na educação do governo brasileiro pela esquerda (tendência que supostamente abarca todos os partidos que não estão nas bancadas da bala, do boi e da bíblia). O objetivo da inserção desta tal ideologia seria fazer com que as crianças passassem a ser homossexuais.

Bem. A estratégia acaba aí. A esquerda estaria querendo transformar todo mundo em homossexual. Pra que? Por quê? Com que objetivo? Os criadores da fake news não tiveram tanta criatividade para explicar isso.

Na verdade, essa e outras notícias falsas são criadas e sistematicamente distribuídas para criar e fomentar o medo e o ódio. E ao fazer isso e relacionar ao pensamento de esquerda, se pretende tirar votos da esquerda nas próximas eleições.

O vídeo abaixo trata do assunto e vale a pena ser assistido. 


QUAL O PROBLEMA COM A "IDEOLOGIA DE GÊNERO"?
Excelente vídeo tratando da hipocrisia e paranoia em torno da "ideologia de gênero". Como um discurso de aparente defesa da família na verdade oculta uma série de ataques aos direitos de mulheres e grupos LGBTs.
Créditos originais: Magic Markers
Tradução: Fabiany Melo
Legendas: Diogo Salles

domingo, 29 de outubro de 2017

Reforma trabalhista e regulação dos trabalho escravo

Depois que os arreios do Congresso foram retirados com a anuência do Judiciário a ladeira ficou mais íngreme e a descida acelerou.


O grupo Sá Cavalcante, que opera as franquias nas redes Bob’s, Balada Mix e Choe’s Gourmet da Grande Vitória, colocou, na última semana de outubro, anúncio em jornais pedindo funcionários para serviços apenas aos sábados e domingos, dias em que, segundo a empresa, há mais movimento e que é preciso pessoal extra.

Brasil vende R$ 900 bilhões do pré-sal por apenas R$ 6 bilhões

- "Calma que o petróleo é nosso!"
- Não mais...



Os dois leilões do pré-sal na sexta-feira (27) tiveram seis blocos arrematados, dos oito ofertados, com a arrecadação de um total de 6,15 bilhões de reais, com destaque para a participação da Shell, segunda maior produtora de petróleo do Brasil, que participou de lances por todas as áreas negociadas e levou três prospectos.

Leia mais em:
https://www.revistaforum.com.br/2017/10/27/zeca-dirceu-leiloes-do-%E2%80%8Bpre-sal-para-estrangeiros-sao-crime-contra-o-pais2/

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Reforma trabalhista em 20 pontos


Projeto de Lei nº 6.787, de 2016, identificado como aquele que dispõe “sobre eleições de representantes dos trabalhadores no local de trabalho e sobre trabalho temporário, e dá outras providências” tem por finalidade, não só regulamentar a eleição dos Representantes dos Trabalhadores nas empresas e alterar a Lei 6.019, de 3 de janeiro de 1974, mas também modificar, significativamente, inúmeros dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Em 12 de abril de 2017, a Comissão Especial emitiu Parecer, de Relatoria do Deputado Rogério Marinho (PSBD/RN), pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa do referido Projeto e apresentou o Projeto Substitutivo.

A soma do PL mais Substitutivo representa, em seu conjunto, um grande retrocesso na legislação trabalhista, pois os benefícios pontuais contidos em um ou outro artigo não escondem o caráter liberal do texto apresentado. Após votação polêmica que garantiu à proposta caráter de urgência – o que elimina a possibilidade de alterações ou emendas na comissão especial criada para este fim – o PL deve seguir nos próximos dias para votação no plenário da Câmara na qual se exigirá para aprovação apenas maioria simples.

Diante da importância da questão, faz-se necessário alguns apontamentos relacionados às propostas de alterações da CLT, alvo de verdadeira sangria nos direitos dos trabalhadores relacionados a seguir:

quinta-feira, 27 de abril de 2017

G1: Saiba como votou cada deputado no texto-base da reforma trabalhista


A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (26), por 296 votos a favor e 177 contrários, o texto-base da reforma trabalhista proposta pelo governo Michel Temer. Agora o projeto segue para o Senado.

Entre outros, a reforma define pontos que podem ser fruto de acordo entre empresários e representantes dos trabalhadores, passando a ter força de lei.

BBC: Reforma trabalhista passa na Câmara - saiba o que pode mudar para os trabalhadores


A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira uma ampla reforma trabalhista, com a promessa de que a "modernização" da legislação vai contribuir para a geração de empregos. Críticos das mudanças dizem que ela precariza as condições de trabalho e não vai gerar novas vagas, já que isso dependeria na verdade de aumentos dos investimentos e consumo.

O projeto de lei aprovado, bem mais amplo que a proposta originalmente encaminhada pelo governo em dezembro, altera mais de cem pontos da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). A matéria agora segue para análise do Senado.

Na Câmara, foram 296 votos pela reforma e 177 contra - para aprovar a reforma da Previdência será necessário o apoio de pelo menos 308 deputados, já que altera a Constituição.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A imagem do Brasil hoje

Congresso Nacional:
cocktail e canapés de um lado.
Conflito e violência do outro.


Procurei mas não encontrei o autor dessa foto.
Também  não posso dar certeza da autenticidade dela.
No entanto, a imagem fala tanto do que penso, que não pude deixar de publicar.
Caso alguém conheça o autor, me avise nos comentários, por favor.