sexta-feira, 26 de junho de 2009

Morreu Michael Jackson, dizem...

Apesar de não acreditar na morte de Michael Jacson, achei uns links para discos dele na Internet e aí podemos lembrar da boa fase dele. Acho que ele estava muito cheio de dívidas e resolveu fugir para o mesmo lugar onde foi o sogro, Elvis Presley.

Michael Jackson - Number Ones (2003)

Best Of Michael Jackson

Michael Jackson Thriller

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Antes que fique velha: Marchinha pra seu Gilmar

Pela ordem, seu ministro
Explique essa decisão
Derrubar o meu diploma
É liberdade de expressão?

Estudei por quatro anos
Ralando que nem CDF
Pra ver meu diploma jogado
No lixo pelo STF

O senhor até falou
Explicando a decisão
Que jornalista e cozinheiro
Não dá risco pra nação

Oh, seu Gilmar, oh seu Gilmar
Você tirou o meu diploma
E eu não sei nem cozinhar

Culinária? Não entendo
Não faço nem ovo frito
Se soubesse, com certeza
Fritaria os do ministro.

Mas agora não tem jeito
Serei cozinheiro autônomo
Mas vou logo lhe dizendo
Seu Gilmar, se eu cozinho eu como

Oh, seu Gilmar, oh seu Gilmar
Você tirou o meu diploma
E eu não sei nem cozinhar

Carlos Nealdo

Não conhecia o camarada que escreveu, mas pelo blog dele, o cara tem umas idéias boas. Quem gostou da marchinha acima pode ler mais do mesmo autor clicando aqui.

Quem me apresentou foi o amigo Breno Barros, que por sua vez havia lido na coluna de Rubens Nóbrega do Correio da Paraíba.

sábado, 20 de junho de 2009

Oito contra 80 mil, Oito contra 180 milhões

Perplexos e indignados, os jornalistas brasileiros enfrentam uma das piores situações da história da profissão no país. Contrariando todas as expectativas da categoria e a opinião de grande parte da sociedade, o STF aboliu a exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista. Perde a categoria e perdem também os 180 milhões de brasileiros, que não podem prescindir da informação de qualidade para o exercício de sua cidadania.

Leia Mais, veja integra da nota da FENAJ.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Num futuro não tão distante...

- Bom dia.

- Bom dia, pode sentar.

- Vim apresentar meu currículo, soube que vocês têm uma vaga na redação para jornalista.

- Pois é, nós estamos vendo quem contratar. Você tem experiência?

- Na verdade não. Só como estagiário. Acabei de concluir o curso.

- Não tem problema. Se quiser começamos a fazer o teste hoje.

- Tudo bem, quero sim. Mas quanto a empresa está pagando?

- Atualmente nós estamos pagando 300 reais.

- 300!?!

- É meu amigo, a crise tá grande.

- Mas, o sindicato não tem um piso salarial?

- Tem sim, mas sabe como é, a oferta é bem maior que a procura. Aliás, hoje mesmo já vieram aqui mais quatro pessoas. E para ser sincero, se ninguém aceitar este salário, tenho certeza que o motorista pode fazer o serviço enquanto não aparece alguém.

- ?!???

- Tem mais! Passe bem!

*Esta conversa é fictícia (será?)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Vídeos ao vivo pela Net

Tenho pensado bastante em novos projectos para serem implantados na web. O que está quase pronto é o de lançar semanalmente entrevistas em vídeo ao vivo na Internet. Problemas técnicos superados vêm agora as questões de usabilidade.

Será que o público da web se interessa por entrevistas ao vivo? O que podemos ganhar com uma sistemática agenda de entrevistas em vídeo pela web? Não podemos oferecer um chat para todos os que entrarem porque pode não haver tempo e nem/ou perguntas relevantes ao entrevistado.

Mais. Já que será uma entrevista produzida, com perguntas planejadas feitas a um entrevistado previamente marcado, qual o sentido de fazer esta entrevista ao vivo e correr o risco de errar no ar, de haver falhas técnicas ou mesmo de se prolongar demais o assunto e cansar os internautas?

Acredito que entrevistas assim podem ser gravadas, numa espécie de "ao vivo gravado", de primeira, em um bloco, sem cortes. Assim, nós poderíamos corrigir eventuais erros e montar legendas, imagens ilustrativas e até fazer edições para tornar o vídeo mais atrativo aos internautas.

Mas não estou, com isto, descartando toda a estrutura montada para transmissão ao vivo dos vídeos. Estou apenas dizendo que este expediente pode ser usado em outras situações em que o objeto da entrevista não pode ser levado ao estúdio ou não pode esperar pela conveniência da Redação.

Logo, eventos que aconteçam com data marcada, em locais sabidos antecipadamente, podem ser tema de entrevistas ou mesmo reportagens ao vivo, aproveitando assim a instantaneidade do objeto.

Acho que fazer um "telejornal" na web não é uma boa receita. A Internet é link, é conteúdo arquivado, é interatividade. Isto tudo muito mais que instantaneidade.

domingo, 7 de junho de 2009

Novo projeto: Entrevista com Capitão

Novo projeto na praça: entrevista com um matador. Ou vá lá, com um prestador de serviços que inclui matar.

Não é policial, mas anda armado. Não se acha bandido porque tem senso de justiça. Dá entrevista mas não revela o nome.

Não tem medo, nem preconceito. Em tempo de violência, ele faz a lei. "Já fiz serviço para rico e para pobre. Até para promotor já trabalhei".

Em breve, texto completo, em capítulos.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Mais de 90% dos homicídios são praticados pelo crime organizado

Em documento enviado pela Secretaria de Comunicação nesta quinta-feira (4), o secretário de Segurança Gustavo Gominho admitiu que de cada 100 homicídios ocorridos, mais de 90 são praticados pelo crime organizado ou crime continuado. Esta informação vem de encontro ao que dizia o antigo secretário da PastaEitel Santiago.

Para Eitel, os crimes de morte acontecem por motivos fortuitos e não planejados, o que os tornariam virtualmente impossíveis de serem previstos. Já Gominho diz que mais de 90% dos assassinatos são de autoria do crime organizado ou crime continuado e que dentro desta estatística estão os 40 criminosos mais procurados no Estado.

E por conta disso foi criado o Grupo Especial de Capturas (GEC). A equipe especializada já localizou e capturou até a última terça-feira (2), três criminosos desta lista. Um deles, Fernandinho, foi preso em Recife semana passada, na madrugada da quarta-feira. O GEC descobriu que ele estava vindo de São Paulo, de avião, para praticar crimes na Paraíba e foi detido no desembarque. O Grupo vai procurar por estes acusados em qualquer parte do território nacional.

Portaria assinada pelo secretário Gustavo Gominho no Diário Oficial desta quinta-feira (4) destaca que o Grupo Especial de Capturas está diretamente subordinado à Delegacia Geral de Polícia Civil. A mesma portaria designa o Delegado de Polícia Civil Carlos Alberto Ferreira da Silva para chefe doGEC/DEGEPOL/PC.

De acordo com o secretário Gustavo Gominho o GEC foi criado também pela necessidade de atender às requisições do Poder Judiciário e do Ministério Público, cumprindo mandado de prisão e de busca e apreensão, bem como fornecer informações necessárias à instrução processo criminal nos prazos previamente estabelecidos.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Injustiça com Bob

Senti falta de um pernambuco/paraibano na lista do Congresso em Foco e liguei para checar. Os meus colegas de Brasília conferiram junto comigo e repararam a injustiça cometida. Não são quatro os parlamentares paraibanos que respondem a processos no STF. São 5!!!

Vejam só, quase esquecido, Bob passou despercebido porque assumiu há pouco tempo e a coleta de dados do Congresso em Foco foi feita até um dia antes de o inquérito do recém senador subir para o Supremo Tribunal Federal. Então, para que justiça seja feita, resolvi postar esta correção do post anterior.

Assim, confira a lista atualizada dos parlamentares paraibanos que respondem processos no STF, abaixo:

Armando Abílio (PTB-PB)
Inquérito 2609 - crime contra a administração da justiça/coação
Inquérito 2119 - falsidade ideológica
Inquérito 2692 - improbidade administrativa
Inquérito 2711 - apropriação indébita previdenciária

Rômulo Gouveia (PSDB-PB)
Ação Penal 492 - captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral

Wellington Roberto (PR-PB)
Inquérito 2450 - estelionato e apropriação indébita
Inquérito 2612 - falsidade ideológica e crimes contra o sistema financeiro nacional

Cícero Lucena (PSDB-PB)
Ação Penal 493 - crimes na Lei de Licitações. O processo corre em segredo de Justiça
Inquérito 2527- crimes na Lei de Licitações. O procedimento corre em segredo de Justiça

Roberto Cavalcanti (PRB)
Inquérito 2817 - Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral
Inquérito 2818 - Crimes contra a Fé Pública - Uso de documento falso
Crimes Praticados por Particular Contra a Administração em Geral

Congresso em Foco: 150 parlamentares têm processo no STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu 36 processos contra deputados e senadores nos últimos 12 meses. Desde junho do ano passado, o número de inquéritos e ações penais envolvendo parlamentares saltou de 281 para 317, um aumento de 11%.Atualmente 150 congressistas têm pendência na mais alta corte do país, quase um quarto do Congresso Nacional. No ano passado, eram 143. Hoje, 52 são réus em 100 ações penais.

Nesses casos, o Supremo aceitou as denúncias feitas pelo Ministério Público Federal ou terceiros por entender que há elementos da participação de deputados e senadores em práticas criminosas. As ações penais são desdobramentos dos inquéritos e preocupam mais os parlamentares, pois são elas que podem levar os réus à condenação.

Os dados são resultado de levantamento exclusivo do Congresso em Foco. Na lista dos atuais processados estão 130 deputados e 20 senadores. As acusações atingem indistintamente partidos da base aliada e da oposição. O leque das denúncias também é variado: malversação de dinheiro público, crimes eleitorais e contra a ordem tributária, corrupção, formação de quadrilha e, até, estupro.

Confira a relação dos parlamentares processados