domingo, 31 de outubro de 2010

Só para não deixar passar

Se alguém lembra, no primeiro turno flagrei a situação de um menino que dormia no chão enquanto a cidade estava em festa pelo dia de votação. Situação não muito diferente do que eu vi hoje, indo para minha seção eleitoral, em Tambaú. A diferença é que, aparentemente o cachorro que acompanhava o menino em no primeiro pleito arrumou lugar melhor para dormir.

Será que isso é o melhor que podemos fazer por nossas crianças?

Clique na imagem feita com o celular Nokia E63 para vê-la maior

terça-feira, 26 de outubro de 2010

TRE homologa senadores eleitos. Cássio fica fora

O Tribunal Regional Eleitoral na Paraíba homologou nesta terça-feira (26) a vitória dos deputados e senadores eleitos. Mais uma vez Cássio Cunha Lima e os demais Ficha Sujas ficaram de fora.

Duvida? Então clique aqui para ver a lista.

Claro que isso ainda pode mudar se o Supremo Tribunal Federal resolver ir contra os milhões de brasileiros que assinaram a Lei da Ficha Limpa, uma das únicas leis de demanda popular dos últimos tempos.


Aliás, o caso de Cássio está previsto de entrar na pauta do STF nesta quarta-feira.

domingo, 24 de outubro de 2010

Porque tropas federais são necessárias em Campina Grande

No último sábado, uma prévia do que poderia ser o dia da eleição em Campina Grande aconteceu. Policiais Federais a serviço da Justiça Eleitoral foram intimidados por policiais militares após investigação de crime eleitoral e só não acabaram presos porque puxaram suas armas e chamaram reforços. Detalhe importante é que o oficial da PM que comandava a ação contra os PF sequer estava fardado.

Depois de receber denúncias de crime eleitoral, um oficial de justiça e agentes da Polícia Federal foram até duas casas onde supostamente estavam sendo distribuídos materiais irregulares de campanha. Numa casa, onde supostamente "maranhistas" cometiam o crime, nada foi encontrado. Na outra, bandeiras de Ricardo Coutinho estavam sendo confeccionadas, mas o proprietário mostrou a documentação que liberava a produção.

Como não acharam nenhuma irregularidade em nenhuma das casas, os policiais e o oficial de justiça iam voltar para a delegacia da PF, quando dois carros da CPTran da Polícia Militar fechou a rua e abordou o carro, que diga-se de passagem estava sem identificação da Justiça Eleitoral. Então, os agentes se identificaram e pediram passagem.

Foi nessa hora que o caldo entornou e os PMs, sob o comando de um suposto oficial à paisana, deram voz de prisão aos agentes. E com policiais com armas em punho de um lado e de outro, a situação ficou tensa e reforço foi chamado.

Enquanto as polícias travavam este cabo de guerra, militantes "maranhistas" e "ricardistas" se aglomeravam e, inclusive há denúncia de que com o aval da PM, fez revistas em carros que estavam próximos.

Somente com a chegada de vários carros da Polícia Federal é que os PMs baixaram as armas e foram levados para prestar depoimento na Delegacia da Polícia Federal de Campina Grande. E só depois que um envergonhado e constrangido Comandante da PM chegou é que os policiais e o suposto oficial foram liberados.

A lição que se tira é a de que não dá para confiar na polícia que serve ao estado, quando o estado está concorrendo. Se os policiais militares agiram sob comando da corporação ou se agiram por conta própria, não sei dizer. O que posso garantir é que esta polícia não tem isenção para atuar no pleito como deveria.

E apesar de ser contra o militarismo, acredito não ter outra alternativa melhor para garantir a segurança e a paz no dia da votação do segundo turno desta eleição.

Veja vídeo abaixo feito por internauta durante a confusão:

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Eu avisei

Tudo bem, estou quase 24 horas atrasado, mas acho que o "eu avisei" ainda cabe. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou na sessão da quinta-feira (21), por 4 votos a 3, o registro de candidatura do ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB) e considerou nulos todos os votos que ele recebeu.

O político teve o registro negado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) com base na Lei da Ficha Limpa e havia entrado com recurso junto ao TSE para tentar mudar a decisão.

Logo que  tomou conhecimento da coordenação, Cunha Lima disse em seu Twitter, que entrará com recurso junto ao STF para tentar reverter a situação. O debate sobre a aplicação imedidata da Lei da Ficha Limpa será retomado pelo STF na próxima quarta-feira.

Agora, só resta à população paraibana ouvir aquela velha choradeira: "cassaram o voto de um milhão de paraibanos, eu sou o homem mais injustiçado do mundo. Ai de mim, sou pobre, não tenho nada, vou para os Estados Unidos".

Candidato, correr com dopping não vale!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Afinal, de quem é a culpa?

Somente depois de uma pessoa perder a vida (veja vídeo de homem sendo assassinado na saída do Manaíra Shopping, em João Pessoa) é que a discussão sobre segurança começa a tomar o corpo que deveria. O absurdo que somos obrigados a viver e a ouvir todos os dias das autoridades nos faz certas ponderações.

Há alguns meses, depois de vários assaltos cometidos no bairro, um ladrão foi espancado e morto ao invadir uma casa em Manaíra. O medo falou mais alto e a agressividade aumentada pelo álcool gerou a morte do filho de alguém. 

A cerca de um mês uma nova onda de assaltos aconteceu no bairro, desta vez na porta do maior shopping da cidade. Várias pessoas relataram o fato e reclamaram da falta de segurança em Manaíra. O capitão Lábis, da Polícia Militar, na época disse que o problema ali era social e que a Polícia não tinha o que fazer.

Não há dúvidas de que o problema social e a diferença de poder aquisitivo existente entre Manaíra e o bairro São José é que agrava a situação, mas cabe a PM o dever de, ostensivamente, cuidar da segurança. Ou não? E outra. O crime aconteceu no meio da rua, não dentro do estabelecimento.

Hoje, Lábis lançou uma nova pérola: ele disse não ser "vigia de shopping". Mas aí eu pergunto, meu caro capitão. Pessoas armadas, disparando contra carros no meio da rua durante vários minutos não é de responsabilidade ou "interesse" da polícia? Quer dizer que se fosse na porta da minha casa eu mesmo teria que tomar providências?

Se não estou enganado, os seguranças do shopping nem poderia entrar em confronto com os ladrões do lado de fora dos portões, justamente por esta ser uma prerrogativa exclusiva da Polícia. Não importa se o lugar tem segurança própria, a segurança pública tem que intervir se for acionada!

Além disso, convido o leitor a verificar comigo esta situação. Se há um evento, quer seja musical ou apenas um sábado de comércio quente, e este evento vai acontecer num local de segurança crítica, será que não caberia uma dose extra de cuidados? Claro, alguém vai dizer que a polícia não pode ficar a serviço do shopping, mas eu pergunto: e das milhares de pessoas que o frequentam?

É preciso considerar também as responsabilidades do dono do shopping, que deve primar pela segurança de seus clientes. Deve primar, mas a obrigação é mesmo do estado. No entanto, esta situação expõe também o despreparo das empresas particulares de segurança, que, via de regra, preparam muito mal seus agentes.

Eu poderia citar algumas situações em que o mal preparo de agentes resultou em pessoas feridas e até mortas, mas vou recorrer a um fato que aconteceu recentemente e que envolveu diretamente a reportagem do Paraíba1. Foi quando o repórter Cadu Vieira cobria um tumulto no shopping Tambía e foi abordado e coagido a apagar as fotos que tinha feito há poucos instantes justamente de agentes desrespeitando clientes.

Mesmo usando o crachá de imprensa e explicando a situação, o repórter teve que obedecer às ordens dos ignorantes e mal preparados seguranças da empresa Naja. Uma queixa foi prestada na 2ª Delegacia Distrital apenas para registro e posterior providência.

Enfim, que quem poderia nos ajudar, não sabe e quem deveria não quer. Só nos resta a barbárie. E foi isso, com outras palavras, que acabou sugerindo o capitão da PM. Para ele, é cada um por si, já que não há viaturas suficientes. Mas eu digo que não. Digo que o problema é estratégico. E não me venham dizer que a culpa é da vítima.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Efraim perde, a Paraíba perde

A Paraíba perde mais um representante de peso no cenário nacional. Depois que Ney Suassuna deixou o Senado e o nosso querido estado nunca mais foi alvo das piadas a que as situações criadas por Ney gerava para o resto do país, agora é a vez de Efraim.

Dificilmente um outro senador ou representante paraibano estará envolvido em tantos escândalos quando o democrata Efraim Morais. Logo ele, que esteve presente em todos os escândalos e sempre ganhou destaque no noticiário nacional.

Adeus Jornal Nacional...

Ah, mas ele deixou o filho na Câmara Federal! Ainda há esperança.

Não sei o porquê, mas acabo de lembrar da piada do trem e do Ferrorama:

O matuto saia do sítio pela primeira vez e cruzou uma linha de trem, quando a locomotiva passava. Como não sabia o que era aquilo, resolveu laçar o "bicho" e domá-lo. Claro, não conseguiu e ainda se quebrou todo.

Quando saiu do hospital, meses depois, passou em frente uma loja de brinquedos e viu na vitrine um Ferrorama funcionando. De pronto invadiu a loja e, com um porrete, destruiu o brinquedo e justificou:

- Esse bicho o cabra tem que matar de pequeno, porque depois que cresce é muito mais difícil!

Maranhão quase pega descendo, no primeiro turno!

O governador Maranhão se empenhou tanto na campanha para eleger Wilson Santiago senador que acabou esquecendo a sua própria. É impressionante como mesmo com “todo o dinheiro do mundo” ele não conseguiu montar uma equipe que pudesse se organizar e ganhar os votos suficientes para, pelo menos, seguir as pesquisas.

Não sei, mas parece que o velho maroca achou uma coisa na qual seu pupilo Weick não é bom. Eleição. Talvez seja melhor botar ele para cuidar de volta dos processos na Justiça Eleitoral.

Dois recados importantes que o povo parece ter dado a José, são que debates são, sim, importantes e estão sendo levados em consideração, e que o twitter, assim como outras mídias sociais não são coisas de vagabundo, portanto, é preciso contratar mais que vagabundos para cuidar desta área.

Eleições na Paraíba: sempre uma festa!

Estas eleições e suas várias mudanças jurídicas, trouxeram situações interessantes e inesperadas. Só para que possa constar no Nó na Garganta, resolvi enumerar algumas:

- Justiça Eleitoral passa a exigir dois documentos para votar;
- Justiça Eleitoral desiste de a exigir dois documentos, mas a surpresa é que o título de eleitor é que foi descartado;
- Candidata Lourdes Sarmento vai votar só com o título e é, obviamente, barrada. Ela protesta dizendo ser candidata, mas só vota depois de alguém ir buscar seu RG;
- Justiça Eleitoral decide que candidatos com registro sub judice terão seus votos computados como nulos;
- Cássio Cunha Lima, um desses candidatos sub judice, grita, esperneia e chora que isso não é verdade e faz lobby com donos da imprensa para que eles tirem estas informações do ar;
- Cássio Cunha Lima, um desses candidatos sub judice, se indigna ao ver os votos para ele serem contados como nulos e faz lobby com donos da imprensa para que eles tirem estas informações do ar;
- Justiça Eleitoral decide acabar com Lei Seca no dia das Eleições, no dia da eleição, mas como vendedores não ficam sabendo, as vendas não acontecem;

Conclusões:
- Lourdes é “apenas” candidata e já quer ter regalias;
- Cássio, apesar de advogado, não entende nada de lei e tem tendência a dono de meio de comunicação;
- Justiça Eleitoral quer fazer jus à fama que só trabalha de dois em dois anos e deixa para fazer as mudanças na lei em cima da hora e tumultua ao invés de ajudar.

domingo, 3 de outubro de 2010

Pense antes de votar


Dia de votação, "direito sagrado de todos os brasileiros". Espero que na hora de votar, tenha alguém pensando em gente como este menino, que vive como um cão. (clique na imagem para vê-la maior)