quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A Internet é demais!!! Você sabe quem é Alexandre Garcia?

A internet é mesmo muito legal. Hoje, depois de ouvir mais alguma loucura vinda de Alexandre Garcia, resolvi fazer uma pesquisa no Google sobre ele. Eu tentava descobrir o porquê de tanta amargura naquele coraçãozinho grisalho.

Rapaz, pois eu encontrei que o camarada já trabalhou para a ditadura (mas disso eu já sabia) e que foi demitido depois de posar seminu para uma revista masculina (?) da época. Ele teria ainda falado de sua vida sexual.

"Foi correspondente no exterior pelo Jornal do Brasil e depois subsecretário de imprensa e porta-voz da Presidência da República por 18 meses, no início do governo do general João Figueiredo. Foi demitido depois de posar semi-nu para a revista, "Ele e Ela," deitado em uma cama." Wikipedia

Se você acha que eu estou falando bem da Internet só por isso, saiba que eu encontrei, sem muito esforço, achar a tal foto! Que reproduzo para que você, meu caro leitor, possa ver também. Não que seja uma bela visão, mas vale ver e ficar lembrando quando for assistir o Bom Dia Brasil ou ouví-lo no rádio.


A foto foi achada no blog De Propósito

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Caco Barcelos fará palestra em João Pessoa

Em mais de 30 anos de experiência, dois prêmios Jabuti de literatura não-ficção, três livros publicados, cobertura de guerras, catástrofes e grandes reportagens investigativas, o jornalista Caco Barcellos vem à Paraíba no dia 04 de outubro, dentro da programação da Feira do Empreendedor 2009, para falar de Empreendedorismo, uma habilidade que faz muita diferença na sua profissão.

Acomodação é uma palavra que não consta no vocabulário do jornalista. Mesmo trabalhando em veículos líderes de audiência, sempre buscou inovar e até mesmo transgredir para criar produtos que alcançassem espaço na programação. Seu mais recente e atual projeto; o programa ‘Profissão Repórter’, apostou no empreendedorismo de uma equipe jovem e usou uma receita antiga e simples: o velho jornalismo na rua, sujando os sapatos para garimpar boas histórias. Altos índices de audiência e uma popularidade incrível fazem o jornalista afirmar que é possível sim ser empreendedor em qualquer profissão.

A palestra 'Empreendedorismo nas Profissões' será focada nas características de um empreendedor de sucesso; relacionando-as com a sua trajetória profissional, as superações e os desafios que enfrentou e ainda enfrenta diariamente.

O repórter, e ex-taxista, contará também outras histórias de empreendedorismo que viu nas suas andanças, os fatos inusitados, os casos de sucesso, as dificuldades e barreiras de pessoas que em meio à competitividade e ao individualismo da sociedade atual, conseguem criar novas alternativas para melhorar suas realidades.

Do site Turismo em Foco

Jornalistas multados por falarem a verdade

O mundo está mesmo perdido, três jornalistas foram condenados a pagar uma indenização de R$ 50 mil por terem chamado Fernando Collor, aquele da Casa da Dinda, do PC Farias, dos caras pintadas, vejam só, de "corrupto, ladrão e chefe de quadrilha".

Bem, fico agora me perguntando o que diabos os jornalistas farão para viver. Porque não precisa mais ser jornalista para trabalhar em jornal e ainda por cima, quando um resolve falar a verdade é processado!

Assim sendo, fica o aviso. Você que é jornalista, nem pense em escrever nada que não venha das fontes oficiais ou em releases autorizados! Ah, e se você receber um release e perceber que a boa história está nas entrelinhas, nem pense em mudar o foco do texto enviado.

Confira a notícia publicada pela Agência Brasil, abaixo:

Justiça condena jornalistas por danos morais contra Fernando Collor

O juiz substituto de desembargador Renato Ricardo Barbosa, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), decidiu que a editora Dom Quixote, responsável pela revista Brasília em Dia, e os jornalistas Franklin Martins e Marcone Formiga devem pagar uma indenização de R$ 50 mil por danos morais ao ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL). O motivo foi uma entrevista de 2005 feita pelo jornalista Franklin Martins, então comentarista político da Rede Globo e hoje ministro-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

A indenização deverá ser dividida pelos três réus, e a publicação deve abrir espaço para Collor com o mesmo tamanho da entrevista original.

Segundo nota divulgada pelo TJ, o texto da decisão afirma que “o político teve a honra e a imagem maculada depois de ter sido chamado de corrupto, ladrão e chefe de quadrilha”.O ministro informou, por meio de sua assessoria, que vai recorrer da decisão. O jornalista Marcone Formiga, responsável pela editora Dom Quixote, também disse que vai recorrer da decisão, que deve ser questionada sob o ângulo da recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que extinguiu a Lei de Imprensa.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Até que demorou para começar: Folha e Globo regulam Twitter de funcionários

Os funcionários da Folha de S. Paulo e da Rede Globo receberam, esta semana, comunicados que impõem uma série de restrições ao uso do Twitter.

No caso do jornal impresso, a recomendação serve para os autores não anteciparem “furos” jornalísticos na rede de microblog (a mesma norma vale para blogs) e não assumirem posições partidárias; limitando-se a, eventualmente, “fazer rápida menção para texto publicado no jornal, com remissão para a versão eletrônica da Folha”.

A informação foi adiantada anteontem pelo jornalista José Roberto de Toledo e diretor do PrimaPágina, que colabora com vários veículos de comunicação, entre eles, a Folha. No seu blog, Toledo escreveu também que os trabalhadores “não devem colocar na rede os conteúdos de colunas e reportagens exclusivas”, por serem reservados apenas aos leitores da Folha e assinantes do UOL.

Coincidência ou não, a Globo, ontem, também enviou um comunicado interno a fim de normatizar o uso das mídias sociais, de acordo com o blog Radar On-Line, da Veja. As regras da emissora, porém, são um pouco mais rigorosas.

É proibido, agora, “a divulgação ou comentários sobre temas direta ou indiretamente relacionados às atividades ligadas à Globo; ao mercado de mídia ou qualquer outra informação e conteúdo obtidos em razão do relacionamento com a Globo”.

Sob a alegação de proteger seus “conteúdos da exploração indevida por terceiros, assim como preservar seus princípios e valores”, a emissora diz que seus contratados só poderão ter blog e Twitter vinculados a outros veículos de comunicação mediante autorização da Globo.

Pelo que se pode entender, isso significa que os artistas da Globo, que, em geral, possuem milhares de seguidores, não possam mais comentar sobre a rotina na emissora, ou sobre algum programa veiculado numa concorrente. E seus blogs, hospedados em outro lugar fora dos domínios da Globo, talvez, deixem de existir.

É o primeiro movimento de grandes veículos de comunicação nacionais para criar uma cartilha restritiva sobre o uso do Twitter. Nos Estados Unidos, a ESPN, mês passado, proibiu que seus funcionários “tuítassem” informações e opiniões esportivas em seus perfis. A justificativa foi a mesma das nacionais Globo e Folha de S.Paulo: preservação e exclusividade de conteúdos.

The New York Times e CBS, todavia, navegam em outra maré. Muitos dos seus funcionários possuem blogs e perfis no Twitter, que servem como complementação dos conteúdos publicados pelas “mídias oficiais”.

Da Info Plantão

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Mesmo sem gasto mínimo com Saúde, Cássio tem contas aprovadas

Mesmo tendo as contas contestadas por auditores do Tribunal de Contas do Estado e não cumprir os gastos mínimos com educação e saúde, o menino Cássio, teve suas contas, relativas ao último ano no governo, aprovadas mais uma vez.

Durante todos os anos em que esteve à frente do Estado, Cássio sempre contou com a "colaboração" dos conselheiros do TCE que, apesar das denúncias do Ministério Público e dos próprios auditores do Tribunal, para que as contas sejam aprovadas.

Este tema já foi apontado com chacota na mídia nacional, que descobriu que o TCE da Paraíba tem como conselheiro Fernando Catão, irmão da mãe de Cássio, Nominando Diniz, coordenador da campanha de Cássio em 2002 e nomeado por ele para o Tribunal e Fábio Nogueira, que era vice-líder do governo Cássio na Assembleia quando foi nomeado para o TCE, em 2006. Destes três, apenas o tio averbou-se suspeito.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Acredite se quiser: UFPB é eleita melhor faculdade de Jornalismo do NE

Revista IMPRENSA divulga lista com melhores cursos da região nordeste

Segundo a avaliação feita pelo "Guia IMPRENSA - As melhores faculdades de jornalismo do Brasil", os cursos mais bem posicionados da região nordeste foram a Universidade Federal da Paraíba, as Faculdades Integradas de Patos, a Universidade Potiguar e o Centro Universitário Jorge Amado (Veja lista completa abaixo).

Para avaliar as faculdades, foram utilizados critérios como titulação e experiência profissional do corpo docente, infraestrutura e experiência laboratorial, projeto pedagógico e presença no mercado de trabalho.

Conheça as melhores faculdades de jornalismo do nordeste
01 Universidade Federal da Paraíba, UFPB (João Pessoa, PB)
02 Faculdades Integradas de Patos, FIP (Patos, PB)
03 Universidade Potiguar, UnP (Natal, RN)
04 Centro Universitário Jorge Amado, UniJorge (Salvador, BA)
05 Faculdade Dois de Julho, F2J (Salvador, BA)
06 Universidade Federal de Alagoas, UFAL (Maceió, AL)
07 Faculdade Maurício de Nassau (Recife, PE)
08 Faculdade Social da Bahia, FSBA (Salvador, BA)
09 Faculdade Sete de Setembro, FA7 (Fortaleza, CE)
10 Universidade Estadual da Paraíba, UEPB (Campina Grande, PB)

Como foi feito
Todas as instituições de jornalismo do Brasil podiam participar do ranking. Algumas, no entanto, recusaram-se alegando que participar de um estudo desses não faria parte da política da faculdade, e ainda outras foram desconsideradas, ou porque enviaram dados fora do prazo ou porque esses dados estavam incompletos. A primeira fase do Guia começou há um ano, quando jornalistas freelancers foram contratados para visitar cada uma das faculdades e entrevistar os coordenadores de curso, apurando as condições físicas, o currículo das disciplinas, os projetos de jornal laboratório. Essas informações foram incluídas em um banco de dados, utilizado como referência para ponderar e avaliar os critérios definidos por uma comissão de profissionais das áreas de jornalismo impresso, televisão, rádio, webjornalismo, assessoria de imprensa e do movimento sindical.

Após esse primeiro levantamento, a equipe do Guia estabeleceu uma pontuação específica para os parâmetros e atribuiu notas em cada um dos critérios, analisando os relatórios de visitas. Para isso, utilizou como referência tanto as exigências mínimas do Ministério da Educação quanto as indicações da comissão profissional em cada área de atuação. Por último, IMPRENSA elaborou uma pesquisa amostral no universo de 25,1 mil editores em todo o território brasileiro, perguntando em quais faculdades eles cursaram jornalismo e quais são as instituições de origem por eles preferidas na contratação.

A soma de todos esses critérios, com diferentes pesos, gerou o ranking dos cursos de jornalismo do "Guia IMPRENSA". O estudo leva em conta os aspectos acadêmicos, mas também valoriza projetos que tenham o reconhecimento do mercado de trabalho e estejam atualizados com as novas exigências do atual panorama profissional, com as atribuições agregadas ao profissional de jornalismo, os novos postos de trabalho, o domínio das várias plataformas e das tecnologias digitais.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Uma imagem fala mais que mil palavras (relembrando)

Depois de entrevistar o ex-deputado Ricardo Barbosa, líder de Cássio Cunha Lima na Assembleia Legislativa e de ouvir dele que vai deixar o PSDB para apoiar a candidatura de Ricardo Coutinho ao governo do Estado em 2010, só me lembrei de um post antigo, de setembro de 2007, deste mesmo blog (clique aqui e veja), em que eu endossava o que insinuava a jornalista Claudia Carvalho com a publicação desta foto de Rizemberg Felipe.

Aliás, gostaria de aproveitar e pedir respeito à propriedade das imagens. Muita gente copiou e publicou esta imagem sem dar os devidos créditos, inclusive supostos "grandes sites de notícias".