quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Perdendo o voto

A lei da Ficha Limpa trouxe situações interessantes e inusitadas. Dentre elas a de que os candidatos que tiveram seu registro de negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e entraram com recurso no Tribunal Superior Eleitoral podem concorrer no pleito, mas todos os votos que receberem será contabilizado como nulos.

Por conta disso, não podem ser eleitos nem sequer saber quantos votos receberam. Outra coisa interessante é o alto número de votos nulos que devem ser apresentados durante a divulgação dos resultados da eleição no domingo (3).

Mas isso tudo pode mudar se o TSE divergir do TRE e decidir que o candidato sub judice tinha o direito a candidatura. Se isto acontecer, todos os votos para ele deixam de ser nulos e serão reclassificados.

O ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) é o exemplo emblemático desta situação. Pois, apesar do esperneio, das juras e de todo o chororô, quem votar nele terá o voto automaticamente anulado.

Enfim, veja a lista de políticos serão transformados em nulos e, se o TSE der uma forcinha, podem valer. Se for um dos seus, veja se vale a pena arriscar ou aproveite a dica do Ficha Limpa e escolha outro de uma vez.

1- Abmael de Sousa Lacerda (PMDB) – candidato a deputado estadual - barrado com base na Lei da Ficha Limpa

2- Benjamin Maranhão (PMDB) – candidato a deputado federal - Foi um dos denunciados pela CPI dos Sanguessugas. Responde ao processo 28393-19.2009.4.01.3600 na Justiça Federal de Mato Grosso pelos crimes de quadrilha ou bando, corrupção passiva e contra a Lei de Licitações.

3- Carlos Dunga (PTB) – candidato a deputado estadual. Foi um dos denunciados pela CPI dos Sanguessugas. Responde ao processo 13602-45.2009.4.01.3600 na Justiça Federal de Mato Grosso pelos crimes de quadrilha ou bando, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

4- Cássio Cunha Lima (PSDB) – candidato a senador – barrado com base na Lei da Ficha Limpa. Foi cassado do cargo de governador, pela Justiça, por prática de crime eleitoral.


5- Francisco Edilson da Silva Ribeiro (PCB) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa

6- Jacó Maciel (PDT) – candidato a deputado estadual, barrado com base na Lei da Ficha Limpa

7- João Marques Estrela e Silva (PDT) – candidato a deputado federal, barrado com base na Lei da Ficha Limpa

8- José Belo da Costa Filho (PT) – candidato a deputado estadual, barrado com base na Lei da Ficha Limpa

9- José Carlos de Souza (PP) – candidato a deputado estadual, barrado com base na Lei da Ficha Limpa

10- Leomar Benício Maia (PTB) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa


11- Marcio Roberto da Silva (PMDB) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa

12- Osvaldo Venâncio dos Santos Filho (PSL) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa

13- Rômulo Gouveia (PSDB-PB) – candidato a vice-governador – réu na Ação Penal 492 (Crimes eleitorais). Data de autuação: 08/07/2008

14- Salomão Benevides Gadelha (PMDB) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa

15- Sebastião Alberto Cândido (PPS) – candidato a deputado estadual – barrado com base na Lei da Ficha Limpa

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Levantou e depois cabeceou

Enquanto alguns comunicadores se esforçam para dominar a linguagem e a tecnologia do rádio, da TV e da Internet para poderem ser considerados multimídias, um camarada de outra área (graças a Deus) deu um show de dinamismo aqui na Paraíba.

À frente do Governo da Paraíba de maneira provisória, o desembargador Luiz Silvio Ramalho Junior sancionou, nesta quarta-feira (22), a lei, de sua própria autoria, enquanto presidente do Tribunal de Justiça, que concede reajuste salarial para os cargos efetivos do Poder Judiciário da Paraíba.

Quer dizer, o cabra cria um projeto, transforma em lei lá no TJ. Depois manda para que o governador possa sancionar. O projeto fica numa gaveta durante uns dias. Aí o mesmo cabra toma posse no lugar do governador que se afastara para fazer campanha e sanciona a própria lei.

Olha, se não existe lei que proíba isso, deveria existir!

O reajuste de 8% é referente a reposição salarial da categoria, pela lei nº 9.238 a primeira parcela, 4%, deveria ser paga em 1º de agosto e a segunda em 1º de novembro, mas como a lei foi sancionada nesta quarta, o retroativo a agosto será pago em outubro.

Leia mais clicando aqui