sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Sem diploma, mas não sem juízo

A queda da exigência do diploma de jornalista trouxe situações, no mínimo, inusitadas. Trabalho ao lado da redação de um dos grandes jornais na Paraíba e presencio, vez ou outra, uma arenga por lá.

Numa delas, me chega uma mocinha para conversar com a editora chefe do jornal. Ela quer ocupar uma vaga no diário, mas veja quais são os argumentos da moça: "O meu avô, bam-bam-bam, falou com o dono da empresa, que me disse para vir falar com você. Eu sou estudante de jornalismo".

A editora, já impaciente pela "ingerência" e com o pedantismo da moça, perguntou em que período a moça estava no curso. "No primeiro", respondeu. De onde eu estava, vi a editora engasgar e procurar as palavras certas. "Minha filha, prepare seu currículo e, quando estiver no quarto período, volte para a gente conversar".

Mas se você acha que a mocinha deu-se por satisfeita, enganou-se. "Mas se não há mais a necessidade do diploma? Não tem como me encaixar em algum lugar, não?" A menina é insistente, mas a editora é mais! "Minha filha, a exigência caiu, mas eu continuo exigindo o diploma de quem for trabalhar comigo!". Concordo em gênero, número e grau.

Outro caso legal foi o de um camarada que escreveu um artigo falando bem da decisão do STF contra os jornalistas e o enviou para que o jornal publicasse. Depois de insistentes ligações para a mesma editora do primeiro "causo", o pretenso articulista reclamou: "mas cadê a liberdade de expressão? Com a decisão do STF não se pode proibir alguém sem diploma de escrever no jornal!", disse indignado.

A angélica editora tomou ares de diabo e disse que se ele quer falar mal da classe dela que procurasse outro jornal. "Estudei quatro anos e não preciso ouvir, nem ler isso", disse ao camarada, que de certo acreditou que com o fim da exigência do diploma os jornais passariam a publicar todo e qualquer texto enviado a eles. Meu amigo, acabou-se foi a exigência do diploma, não mataram os jornalistas, não. Continua tendo gente com juízo nas redações (não muita, mas ainda tem).

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Xuxa abre twitter e é escrachada por erros de português

Um episódio (clique aqui para ler sobre) envolvendo o twitter da Xuxa somado a outras visitas que já fiz a blogs de "celebridades" me fizeram lembrar do que me disse um dia um tio, que trabalhou numa revista e que tinha acesso a este tipo de figura. Ele dizia, "se você é fã de uma celebridade, procure não conhecê-la. Você vai se decepcionar".

O G1 e o Uol, acredito que também outros portais, têm um leque de "famosos" mantendo blogs. Em uma visita rápida é possível perceber que a maioria não tem conhecimento mínimo da língua portuguesa. Pior, os que parecem dominar minimamente são tão vazios de conteúdo que dá raiva. Raiva porque têm milhares de leitores e podiam aproveitar para acrescentar algo.

Gente que nas entrevistas que assistimos por aí parecem ser interessantes, parecem ter causas, parecem até ser merecedores de fãs. No entanto, quando você vai ler os blogs, que decepção. Banalidades, besteiras e ego. Muito ego inflamado. A vaidade é o pior dos pecados.

Ah, Internet que aproxima e dá voz a todos.
Ah, Internet que acaba com sonhos e destrói ídolos!
Ah, Internet cruel!

Photoshop: Microsoft edita foto e troca homem negro por branco em anúncio

A BBC publicou uma notícia esta semana repercutindo a edição de um anúncio da Microsoft. Segundo ela, a empresa editou, muito mal aliás, a foto em que apareciam um homem branco, um asiático e um homem negro. No entanto, a cabeça do homem negro foi "substituída" pela cabeça de um homem branco. Mas esqueceram (ai ai ai) de substituir também as mãos. Leia a notícia completa clicando aqui.


"A foto, que mostrava empregados sentados ao longo de uma mesa de reunião, apareceu em sua versão original no site da empresa nos Estados Unidos. Mas no seu site para a Polônia, a gigante do software trocou a cabeça do homem negro por um homem branco, mas deixou a mão do homem intocada. A Microsoft disse que retirou a imagem de seu site e que investigará quem foi o responsável pelas mudanças na imagem. A empresa pediu desculpas formais pela gafe", contou a BBC.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

PEC dos jornalistas chega à CCJ da Câmara Federal

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados recebeu a Proposta de Emenda à Constituição que visa restabelecer a obrigatoriedade do diploma em jornalismo para exercício da profissão. Além disso, o deputado Maurício Rands (PT-PE) foi indicado como relator da matéria.

A PEC de autoria do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) será analisada na CCJ e, se aprovada, uma Comissão Especial dará agilidade à Proposta até que ela seja encaminhada para votação em plenário, segundo garantiu o Presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), a Pimenta.

Por meio de nota à imprensa, o Gabinete do Deputado lembrou que, no início de agosto, Pimenta enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de audiência com o Ministro Gilmar Mendes com objetivo de discutir alternativas à decisão que julgou inconstitucional a demanda de graduação para exercício do Jornalismo.

Com Portal Imprensa

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Diário de um Civic: Fusca lidera ranking dos 'fora de linha' mais vendidos

O blog Diário de um Civic traz o ranking dos carros "fora de série" mais vendidos. De janeiro a julho já foram comercializados 107 mil unidades do Fusca. Escort, Monza, Chevette e Kadett também têm boa aceitação no mercado. Clique aqui e confira.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Multas demais?!? Para mim está é faltando guarda!

Absurdo! Acho que na verdade o vereador Hervásio Bezerra (PSDB) não dirige nesta cidade de loucos ao volante. Se houvesse o número correto de guardas e fiscais, o número de multas seriam dez vezes maior. Pelo menos!

Hervásio andou denunciando que acreditava existir uma industria de multas na cidade de João Pessoa, mas eu, que dirijo por aqui, e aliás já denunciei as danações do trânsito locas aqui no blog, digo: Ainda é preciso multar muita gente, viu?

Eu saio de casa e até o trabalho uso quase que exclusivamente uma só avenida. É o suficiente para quase ser assassinado por vários ônibus, que usam sempre mais de uma faixa ao mesmo tempo, corro o risco de ser abatido por algum motorista apressado que corta as pistas sem sinalizar, entre outras.

Nas últimas semanas percebi uma nova "moda" no trânsito de João Pessoa. Os motoristas que vão entrar na avenida param na esquina, olham para ver se vem carro. Constatam que vem e entram na frente! Se vai entrar de todo o jeito, para quê olhar?!?

Ai meu Deus, queria eu ter um bloquinho de multas. Aí sim, Hervásio ia ver o que era multa demais!!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Ronaldo Cunha Lima é citado em novos atos secretos no Senado

Uma lista de 468 atos secretos surgiu na noite desta quarta-feira (12) no Senado. Foram emitidos há cerca de dez anos para nomeações, demissões e gratificações. Entre os atos, está o do então senador Ronaldo Cunha Lima, pelo PSDB da Paraíba, na época primeiro secretário e responsável pela administração, que nomeou o filho.

Outros atos alteram a estrutura de cargos e pessoal nas áreas de telefonia, biblioteca, serviço médico, segurança e comunicação. Criam funções de confiança para diretorias. E tratam até de folha de pagamento.

A lista foi entregue e divulgada pelo Jornal da Globo, que teve acesso com exclusividade e mostrou a documentação para nomear e dispensar funcionários dos gabinetes, da gráfica e do serviço de processamento de dados do Senado.

Tanto o Jornal da Globo, quanto a produção do Bom Dia Paraíba tentaram ouvir o ex-senador Cunha Lima, mas ele não retornou as ligações. Os atos secretos agora descobertos foram postados na rede de computadores do Senado no dia 29 de maio.

Entre 1998 e 1999, quando o senador Antônio Carlos Magalhães, na época ligado ao PFL, hoje renomeado para DEM, era o presidente do Senado, os atos secretos foram incluídos em boletins suplementares, e só agora disponibilizados na rede de computadores do Senado, depois que a comissão de sindicância iria terminar o trabalho com os atos secretos anteriores.

O primeiro secretário do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM), encomendou uma investigação para descobrir novos atos secretos. Ele ficou surpreso. "Uma surpesa. Vem a ser um absurdo. Além de um crime, é uma irresponsabilidade. Torna totatalmente inseguro o trabalho feito. Nada me garante que algum maldoso, perverso, não tem ato secreto na sua gaveta", afirmou.

Com G1 e Bom Dia Paraíba

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Jornalista é baleada em cena de violência em Campina Grande

Uma professora da faculdade Unesc, foi abordada por três homens armados, nesta quarta-feira (4), no centro de Campina Grande. Os bandidos levaram a professora, no seu automóvel, um Honda Civic de cor prata, placa MNV 1041, a uma agência bancária. A quantia sacada pela vítima não foi informada pela polícia.

Em seguida, seguiram em direção ao bairro Catolé e abordaram dois jornalistas, Walderedo Borba e sua irmã, Carla Borba. Na ação, os assaltantes atiraram contra as vítimas que foram atingidas e encaminhadas ao Hospital Antônio Targino.

A jornalista contou que não havia entendido se tratar de um assalto e tentou sair com o carro e que por isso acabou sendo baleada. Segundo ela, mesmo ferida, ainda pôde conversar com os agressores. "Expliquei que não conseguia cooperar pois não podia mexer o braço", contou.

Os irmãos informaram que quando os assaltantes viram o sangue, ficaram nervosos e fugiram. Carla ainda usou o próprio celular e ligou para uma médica amiga que preparou sua chegada no hospital Clipse, de onde foi transferida mais tarde para o Antônio Targino.

Após cometer esses assaltos, os bandidos deixaram a professora próximo a sua residência e fugiram no seu carro. A polícia está realizando buscas pelos bandidos. Walderedo Borba, que teve o celular levado, foi atingido no abdômen e já recebeu alta, já a jornalista Carla Borba foi atingida na clavícula e continua internada no hospital com a bala ainda alojada no corpo. Mesmo assim, as informações médicas são de que ela não corre mais risco de morte.

Da Redação do Paraíba 1