Crianças na rua: problema meu e seu

Estou cansado de ver a mesmas crianças espalhadas pelos sinais de trânsito desta cidade. Também estou cansado de ver promotores se vangloriando e criando grandes campanhas que, invariavelmente, dão em nada. Uma semanaproíbem a população de dar esmolas, na outra pegam todas as crianças e levam de volta para casa(!).

É óbvio que no mesmo dia todas estão de volta ao mesmo sinal. Também é óbvio que as pessoas, com seu pensamento cristão, não param de dar esmolas. Na cabeça damaioria, eles estão fazendo a sua parte para aliviar o sofrimento, ou ao menos a fome daquelas crianças.

Mas o que vejo é o passar dos anos e aqueles meninos que até ontem eram bebês nos braços de mães pedintes se tornarem malabaristas de sinais e, esta semana, flagrei um desses, que vi de fraldas ainda, tentando roubar a bolsa de uma senhora no banco da frente de um carro.

Isso significa que eles estão seguindo o caminho que lhes restou. Nasceram em uma família pobre, com pais de pouca ou nenhuma instrução que os colocaram para pedir esmolas. Mas, se pequenos eles têm medo, logo percebem, ao crescerem u pouco, que muita gente os teme. Daí para tirarem as coisas à força é só uma questão de ter fome.

E a quem culpar por isso? Os pais dessas crianças são conhecidas do Ministério Público. Vamos prendê-los? E às crianças, o que vai sobrar? Vamos prendê-los também? É preciso pensar em uma forma que resolver esta questão. E na minha opinião, estas crianças estão nos dando a dica para resolver este e outros problemas.

Acho que devíamos parar de fazer leis proibitivas e investir em escolas que funcionam. Com o dinheiro da nova sede da Assembleia Legislativa ou do novo prédio (mais um) da Justiça na Paraíba, poderia ser construída uma escola, para João Pessoa basta uma, com estrutura para manter as crianças e adolescentes o dia inteiro na escola.

A Grande João Pessoa tem o número de crianças nas ruas suficientes para "encher" apenas uma escola. O próprio Ministério Público já fez as contas e e viu que elas não chegam a mil. Número alto quando se pensa no potencial de desperdício humano e de problemas que podem ser gerados a partir daí, mas muito pequeno para uma escola.

Este mesmo projeto poderia ser levado para as outras grandes cidades do estado e com apenas uma escola destas por município, conseguiríamos resolver o problema das crianças nos sinais, dos furtos, do uso de drogas, da "profissionalização" de futuros bandidos e até da super-população de presos daqui a dez anos. Além disso, até para campanhas educativas e de saúde o trabalho fica facilitado, já que todas crianças estarão num mesmo lugar.

Portanto, ninguém venha me dizer que não há dinheiro para fazer isso, porque tem sim. Não venham dizer que ninguém sabe como fazer, porque há váriosprojetos que cuidam de crianças em situação de risco, aqui mesmo na Paraíba, como a Casa Pequeno Davi, por exemplo. Assim, vamos agir!

Comentários

Rayner disse…
Passei recentemente por cidades como Gramado e Canela no RS. Perguntei sobre mendigos e a população respondeu que o prefeito tem um projeto para gerar EMPREGO. É proibido pedir esmola nestas cidades. Se quer trabalhar, tem emprego, se não quer, ganha dinheiro para deixar a cidade.
Eduardo disse…
A grande maioria dos motoristas dão esmolas com medo é de arranharem os seus respectivos carros. Vontade política para resolver, ou pelo menos amenizar esse problema é o que falta, projetos existem...
alexandre disse…
Texto verdadeiro e bem escrito! É necessário lembrar que o problema nao é apenas dessas pobres criancas, mas de todos nós que vivemos nessa sociedade tao marcada pela injustica. Nós, os que votamos, queremos que aqueles em quem votamos resolvam o problema. Afinal, é para isso que eles foram eleitos e sao regiamente pagos.